Alice Através do Espelho | A Sétima Arte Em Foco


Eu me identifiquei muito com Alice Através do Espelho por conta das várias frases de efeito e ao contexto de reflexão que o filme se encontra no tema sobre o tempo e família. Minhas considerações vão além da perspectiva cinematográfica que cercam um longa-metragem. Tenho uma predileção de examinar o que existe nas entrelinhas, de refletir sobre a mensagem e as coisas que não são tão óbvias assim, tentando despertar as sensações surpreendentes que os filmes causam nas pessoas. 
Alice é uma personagem que pode ser apreciada por uma eleita, de maneira extravagante e principalmente se considerarmos a época em que se passa a história. Pensamentos diferentes, vestimentas antípodas... Por meio das características da personagem existe uma série de reflexões que podemos nos ater: no respeito às diferenças, na igualdade de gêneros, crer no extraordinário.
Para falar de cada reflexão que esse filme me inspirou a pensar, me levou a escrever esse texto assim que terminara de assisti-lo, se deu muito por conta das frases, que nele fazem toda uma diferença; por exemplo: quando a mãe da Alice diz sobre ela estar sendo teimosa sobre valores mesquinhos no tocante a valores maiores que ela estava ignorando, "(...) o ‘tempo’ está contra você, e você está sendo negligente (...)” 


De uma maneira profunda e grandiosa Alice Através do Espelho mostra o quão somos injustos com o tempo que nos é dado no decorrer de nossas vidas, e que o adeus um dia vem e a culpa não é do tempo em nos sentirmos logrados, furtados, privados da presença daquela devida pessoa. Nós que não sabemos como aproveitá-lo onde e quando o “tempo” termine, para que possamos nos sentir agraciados pela generosidade do dom da vida que a nós é dado pelo “tempo”. De maneira exata e inexorável para todos.


Porém quero centralizar minha reflexão a respeito do tempo. O tempo é visto de inúmeras maneiras no senso comum, aquele que “cura tudo”, que tira de nós o que mais amamos, o inevitável… Normalmente o mundo pensa no tempo quando dele não se tem mais. “Um dia todos acabam partindo com o que têm” foi uma das frases de efeito que me chamaram muito a atenção e me fizeram pensar sobre a importância que as pessoas costumam dar as coisas materiais ao invés de dar valor aos sentimentos, sensações e momentos. Muitos temem o que deles pode ser retirado através do “tempo”: beleza, juventude, dinheiro, pessoas…


De volta as frases sobre o “tempo” no filme, e que nesse quesito o roteiro é rico, capaz de deixar qualquer um tentado, seduzido... dominado, temos essa aqui: “você não pode mudar o passado, mas pode aprender com ele”. Existe uma ponderação de se reclamar do passado, de se arrepender de não poder “voltar no tempo” para corrigir alguma coisa que está incomodando no presente.
Quem garante que voltar no tempo e fazer algo diferente traria um resultado melhor hoje? Empregamos tanto tempo pensando nessa hipótese que nos esquecemos de viver o hoje, de aproveitar o que o tempo está nos dando e caímos novamente no ciclo repetitivo de reclamar dele (o tempo).




Do mesmo modo que o tempo tira, ele também nos dá. Alice diz isso à "ele" em uma de suas cenas: “Eu pensava que o tempo era um ladrão que roubava tudo que eu amo, mas agora eu vejo que você dá antes de tirar. E cada dia é um presente. Cada hora, cada minuto e cada segundo”. A única certeza que temos é que o tempo é a única coisa que não podemos recuperar. Por isso, ao invés de se lamentar com o passado e mirar em um futuro que ache impossível, lembre-se da frase de Alice: “o único jeito de conseguir o impossível é acreditando que é possível” e corra atrás dos seus sonhos. Afinal de contas o presente é o futuro que você plantou no passado


E, assim como sugere o filme até o final da trama, dê valor para cada ação feita por você porque um pequeno “não” mentiroso pode mudar uma vida inteira. 
Frases do filme que não inseri em minhas considerações:
Sobre o relógio quebrado do pai dela de estimação para Alice. O diálogo dela com o tempo, interpretado pelo ator britânico Sacha Baron Cohen, é dito:
Alice a respeito do objeto: “... era do meu pai, jamais me separaria dele!”
O Tempo responde: “Todo mundo se separa de tudo um dia, minha querida”. 


Assistam o filme e atentem para esse pequeno porém importante detalhe sobre as frases e verão que elas dão um toque especial como a cereja do bolo que você em vez de mastigar e degustar seu sabor a engoliu direto (risos).



*
Marcos Coimbra é o criador do Espaço HQ , e colabora aqui no Will,Who.
Anterior
Next Post »