Deuses do Egito | A Sétima Arte Em Foco


Taí uma produção que considero inteligente se comparado com algumas que subestimam a capacidade do público em notar a diferença de uma CGI pobre e malfeita, para um efeito bem feito e que convença. Quero dizer que quando usam essa tecnologia de maneira esparsa, só não nota a diferença quem não está acostumado a ver filmes. Por exemplo: Percy Jackson o Ladrão de Raios (nem a presença do ator Pierce Brosnan, Sean Bean das atrizes Rosario Dawson e Uma Thurman deixou o filme mais interessante. Atraente sim, interessante não); foi horrível, e quase "infartei" de tanta bronca que tive em ver um bom roteiro, divertido, e uma boa história ser estragada com personagens fracos e com efeitos pobres que não convencem. Resultado: um filme medíocre (e nisso eu estou sendo até camarada no adjetivamento dele)!


Deuses do Egito é uma trama mitológica e bem alinhavada em
seu roteiro, aliado a um bom elenco e, efeitos de primeira. Lógico que percebe-se serem CGIs, mas convencem tanto quanto produções mais ricas.
 

Gerard Butler dá o tom da história sendo o deus egípcio Seth que usurpa o trono de Osiris no dia da coroação de Horus, que em sua primeira batalha contra o tio perde seus olhos, fonte de seu poder. Interessante ressaltar, principalmente para aqueles que acompanharam muitas series animadas da década de 80, é que quando esses deuses egípcios se transformam em sua real forma, eles (para mim) parecem muito com personagens de uma animação de nome "Silver Hawks";


 juro que pensei que seriam como mutantes, até são, mas somente os deuses de menor escalão. E a estatura dos deuses egípcios frente a dos humanos lembra muito o efeito usado em Rodrigo Santoro no filme 300 como o rei-deus Xerxes. Legal ver Chadwick Boseman como o deus Toth da sabedoria (o Pantera Negra de Capitão América 3 Guerra Civil) no filme, e Élodie Yung como a deusa Hathor do amor (a Elektra da série Demolidor da Netflix), uma escolha e tanto para uma personagem egípcia dado sua aparência e fisionomia com o povo do continente africano. 
Certa hora as cenas me lembravam o game da Sony God of War com seus perigos de engenharias fatais nas ante câmaras do interior das pirâmides que o personagem Beck (Brenton Thwaites) o ladrão apaixonado passava para ajudar os deuses em seu intuito para destronar Seth. E a armadura de Horus ganha de lavada em estética e ostentação da armadura do Tony Stark, uma comparação só para você que estiver lendo a coluna A Sétima Arte Em Foco mensurar o quanto é bonita e rica a blindagem do deus egípcio no filme.

Se serve como dica Deuses do Egito é um filme bom que realmente prende a atenção de seus espectadores numa torcida pelo final feliz. Fica aqui a indicação e assim que puderem assistam porque é diversão garantida.
 Minha nota para esse filme é 9.4 👍👍
📺 Data de Lançamento24 de fevereiro de 2016  🎬 Direção: Alex Proyas 💿 Música composta porMarco Beltrami 👕 Figurino: Liz keogh 📝 Roteiro: Matt Sazama, Burk Sharpless
Anterior
Next Post »